Lar Santo Cristo Nave
Sofia Gralha

A elaboração da identidade da Associação Social de Idosos do Divino Santo Cristo da Nave, estabelecida no campo das instituições/lares/residências séniores, procurou-se elaborar soluções centradas na construção de um símbolo forte e identificativo.
A identidade visual criada dispõe-se pelo símbolo e pelo nome ”Lar Santo Cristo Nave” em letras maiúsculas, numa tipografia sem serifas, de altura e largura de tamanhos similares criando um “olho” circular perfeito na letra “o”. Estas características permitem uma aparência moderna, com grande presença – devido ao seu traço grosso – e agradável – graças a um misto equilibrado entre linhas curvas e retas. A palavra “Nave” ganha menos destaque através de um traço mais fino mas, o que acaba por a evidenciar do resto do nome, de modo a que o mesmo seja mais legível e crie uma ligação direta ao local geográfico da Associação.

Foi escolhido este nome para apresentar a Associação uma vez que a mesma é composta por sete palavras que dificultam a associação e leitura. Assim sendo, o nome original e completo da Associação é apresentado em jeito de slogan num tipo de letra com serifas, transmitindo uma lado mais tradicional e clássico, que em conjunção com a tipografia sem serifas mais moderna, cria uma imagem harmoniosa.

O símbolo desenvolvido representa a folha da árvore Ginkgo Biloba. Esta árvore, de origem chinesa, é considerada um fóssil vivo devido à sua longevidade, uma vez que já existia à 150 milhões de anos, no tempo dos dinossauros. Por essa razão simboliza longevidade, mas também paz e esperança uma vez que foi das únicas árvores a sobreviver às explosões atómicas no Japão.
A palavra ginkgo tem origem chinesa, significando “damasco prateado”. A palavra biloba vem do formato bilobado das folhas.

As folhas desta árvore têm sido frequentemente usadas no combate aos radicais livres e como auxiliar da oxigenação cerebral, bem como intensificador de memória, de atenção e contra vertigem.
A folha de gingko em forma de leque caracteriza-se por dois lóbulos repartidos no meio e, por essa razão, é retratada como um símbolo da dualidade e do amor em muitas obras de arte e literatura. Li Shizhen, um dos maiores naturalistas chineses de todos os tempos, relata que a folha do ginkgo retrata a ideia de yin e yang, ou seja, de equilíbrio entre duas partes. No outono, as folhas ganham uma coloração dourada, e no inverno a árvore perde todas as folhas.
No símbolo desenvolvido, a folha foi desenhada com o seu início ajustado a um vértice e duas arestas que formam um ângulo de 90graus. Desta forma, ao conjugar 4 folhas obtemos uma forma que mostra uma cruz no seu espaço negativo.
A forma da cruz simboliza o Divino Santo Cristo, ou seja, a religião cristã. A cruz pode tomar diversos significados mas, na religião cristã tende a transmitir a ressurreição e a esperança da vida eterna. Pitágoras dizia que Deus falava através de números e, a essa linguagem, o filósofo grego chamou de matemática sagrada, ou ciência dos princípios. Ao símbolo da cruz, relacionou o número 4 que representa a ordem do mundo, as quatro bases que formam o equilíbrio da criação. Também é associado à cruz o significado de centro para onde tudo converge, a Árvore da vida. Além da cruz, podemos ver também o símbolo “mais”, que transmite a adição de algo – mais cuidado, mais saúde, mais conforto, mais energia, mais amor, mais segurança, mais união, mais vida… – podendo resultar em diversos slogans para promoção da Associação.
Esta identidade foi desenvolvida para ser utilizada na maioria das vezes na sua versão simplificada (com apenas uma folha) por esta ser a mais legível em tamanhos pequenos. No entanto, a versão secundária/completa (com as três folhas e a tipografia no lugar da quarta folha) está estudada para ser usada essencialmente na promoção/comunicação e divulgação da associação, podendo resultar também em padrões interessantes.
O azul/verde água ajuda a transmitir a ideia de limpeza, pureza, frescura e saúde devido à sua relação à cor da água. O verde azulado escuro transmite não só integridade, confiança e estabilidade como harmonia e resistência. O dourado é a cor que as folhas assumem no outono, simbolizando maturidade, sabedoria, essência do espírito divino, abertura espiritual e fortaleza.