Mercado Fora d’horas edição 2017

O Mercado Fora d’Horas é um evento gastronómico sobre cultura local com uma forte componente criativa. Pretende atrair públicos aos espaços dos mercados municipais e em simultâneo demonstrar a importância social e cultural destes lugares. Este evento é uma ação no âmbito do Projeto Consumir Local , que realizou-se no Mercado Municipal de Silves, Portugal, a 27 de Julho de 2016, estando já planeada uma terceira edição para o verão de 2018.
O Projeto Consumir Local, é um projeto de design comunitário que preconiza o desenvolvimento de ações de âmbito social, promovendo a valorização do gosto local. Explora como o design pode auxiliar a comunidade a relacionar-se com os espaços de consumo agroalimentares de proximidade, sobretudo junto dos públicos jovens. A comunicação visual do projeto é reflexo da sua ideologia, remetendo para um ambiente de ligação com a terra e o vegetal, através de ilustração. Um tom onírico na fusão da lua com os vegetais explica o conceito noturno do evento e a sua diferenciação.
Este evento apresentou-se como um momento que possibilitasse a novos públicos o mercado num horário acessível.
O programa do Mercado Fora d’Horas concentra-se nas qualidades gastronómicas do espaço. Houve a preocupação que toda a divulgação e a oferta do evento tivesse lógica dentro do espaço, para afirmar o mercado como um atrativo cultural. A divulgação esteve concentrada na oferta diferenciada do mercado e a programação na comida local enquanto atrativo. Na proposta programática, diferentes atividades foram desenvolvidas: mercado noturno, jogos sobre produção local, conversas e momentos culinários, música, fotografia e design.
Na segunda edição foram desenhadas experiências mais imersivas, que possibilitaram ao público aperceber-se do espaço através dos sentidos, tendo uma noite sobre os cheiros, outra sobre o ouvir e a última sobre a visão. As experiências posicionam-se entre a memória cultural e as relações que o público têm com a comida.
A adesão do público e a satisfação dos comerciantes do mercado demonstram as potencialidades do evento. O design apresenta-se como veículo de motivação comunitária e ferramenta de conservação cultural, apresentando soluções para um futuro que aposta no território e seus valores.